Soldado de Cristo: Aprenda a usar o “cinto da verdade” e combata as mentiras do inimigo

spot_img

Mais lidas

“Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade”. (Efésios 6.14)

Como identificar as ciladas do inimigo?

É importante que cada cristão saiba identificar as suas próprias lutas pessoais. As dificuldades do dia a dia refletem os impedimentos vindos do mundo espiritual.

Perceba que não é fácil manter a alegria e a comunhão com Deus, assim como não é fácil exercer os dons espirituais que estão à nossa disposição. Sempre haverá obstáculos e barreiras, isso porque há “forças espirituais do mal” lutando contra o nosso progresso e a nossa vitória.

Quer dizer que as “ciladas do diabo” podem ser reconhecidas através de mentiras, injustiças, intrigas (discussões, fofocas, contendas), incredulidade, pensamentos mundanos e despreparo para solucionar problemas.

Como sabemos disso? Perceba que cada uma das partes da armadura é feita para combater essas ciladas. Por exemplo: com a verdade, podemos desfazer as mentiras que tentam nos impedir de crescer na fé.

Comece a vestir a armadura agora mesmo e torne-se “inabalável” como a própria Palavra diz.

Cingindo-se do cinto da verdade

Antigamente, o cinto de couro usado pelos soldados protegia a região do baixo abdômen, sustentando praticamente toda a armadura. Além disso, servia também para prender a túnica.

Túnica — espécie de vestido largo para cobrir o corpo inteiro.

Nesse caso, o cinto ajudava a manter a túnica no lugar, evitando embaraços na hora da luta. Também sustentava a couraça e servia de base para colocar a espada. Ou seja, sem o cinto, outras partes da armadura poderiam ficar comprometidas.

Cingir-se — significa cercar-se, enfaixar-se ou apertar ao redor do corpo. No sentido espiritual, “cingir-se da verdade do Evangelho” é se proteger das mentiras. E só pode estar vestido da verdade aquele que a conhece. Veja o que a Bíblia diz:

“E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará.” (João 8.32)

“Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.” (João 17.17)

Como vestir o cinto da verdade?

Se você compreendeu a metáfora do uso do cinto da verdade, talvez esteja pensando numa forma de colocar isso em prática em sua vida. Como já vimos, cada parte da armadura de Deus foi planejada para desfazer uma “cilada” do mal.

Cilada — emboscada ou armadilha. Ato de ficar escondido para atacar o inimigo de surpresa. Plano ardiloso com o objetivo de enganar. Maquinar o mal.

De que lado você está?

Em primeiro lugar, certifique-se de estar do lado certo. Se você está do lado da verdade precisa se posicionar. Muitas pessoas já caíram na armadilha e nem se deram conta. Elas estão lutando ao lado da mentira e tornando-se “inimigos de Deus”.

“Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus.” (Tiago 4.4)

“Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele.” (1 João 2.15)

“Antes vocês estavam separados de Deus e, em suas mentes, eram inimigos por causa do mau procedimento de vocês.” (Colossenses 1.21)

Tenha cuidado!

Essa guerra é sutil. Não é como a guerra no plano físico, onde se ouve o barulho das bombas e se vê sangue escorrendo e mortos pelo chão. A guerra espiritual é silenciosa, e o inimigo não aparece com armas reais.

Ele age na mente e no coração das pessoas, fazendo com que a verdade de Deus pareça mentira (Romanos 1.25), distorcendo os valores e corrompendo a moral. Quem caiu nessa “rede da mentira” tem outro pai. Veja o que diz a Bíblia:

“Vocês pertencem ao pai de vocês, o diabo, e querem realizar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira.” (João 8.44)

Amigos de Deus

Se você tem convicção de ser “amigo de Deus” como diz a Palavra, então sabe que existem inimigos espirituais do mundo das trevas lutando contra você. E enquanto ele estiver usando a arma da mentira, você se defenderá com o cinto da verdade.

“Vocês serão meus amigos, se fizerem o que eu lhes ordeno. Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor faz. Em vez disso, eu os tenho chamado amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu lhes tornei conhecido.” (João 15.14-15)

Guerra intelectual

Mentiras, fake news, heresias, enganos e distorção da Palavra. Tudo isso é uma realidade em nossos dias, não só no mundo secular, mas até mesmo dentro das igrejas. A Bíblia faz vários alertas. Veja:

“No passado surgiram falsos profetas no meio do povo, como também surgirão entre vocês falsos mestres. Estes introduzirão secretamente heresias destruidoras, chegando a negar o Soberano que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.” (2 Pedro 2.1)

“Muitos seguirão os caminhos vergonhosos desses homens e, por causa deles, será difamado o caminho da verdade.” (2 Pedro 2.2)

“Pois aparecerão falsos cristos e falsos profetas que realizarão grandes sinais e maravilhas para, se possível, enganar até os eleitos.” (Mateus 24.24)

“O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos…” (1 Timóteo 4.1-2)

O alvo do inimigo é a nossa mente

Ter dúvidas sobre a veracidade da palavra de Deus é um perigo. Entenda que “cingir-se do cinto da verdade” não é apenas dizer a verdade o tempo todo, mas viver essa verdade, que é o Evangelho de Cristo.

Marxismo Cultural

Um dos grandes perigos para as sociedades do mundo atual é o marxismo cultural. Essa ideologia tem se tornado uma das maiores armas contra as pessoas de bem, por não se apresentar como um ataque violento.

O marxismo cultural é um sistema ideológico baseado nos pensamentos de Karl Marx, que visa acabar com o “conservadorismo”, se utilizando de vários veículos para tornar seus planos comuns, entre eles a grande mídia, cinema, teatro, universidades, escolas e desenhos infantis.

Entre os principais planos está a destruição da família tradicional para dar lugar aos casamentos homoafetivos e seus novos arranjos. Além disso, defende o aborto, liberação sexual, erotização infantil, ideologia de gênero, entre outros temas que contrariam tudo o que a Bíblia diz.

Conquistando as mentes, o inimigo passa a agir deliberadamente. Essa “guerra intelectual” está acontecendo no Brasil e muitas igrejas estão sendo atacadas. Há cristãos defendendo esses absurdos e gostando de serem chamados de “cristãos progressistas”.

Eles até concordam com a ideia de Jesus ter sido um líder revolucionário, um socialista morto pelo capitalismo daquela época.

Cuidado com os ataques sutis. Muitos líderes que se dizem cristãos já estão a serviço das trevas. Nos tempos da Igreja Primitiva, o povo de Deus também teve que lidar com essa guerra intelectual. Veja:

“Pois tais homens são falsos apóstolos, obreiros enganosos, fingindo-se apóstolos de Cristo. Isto não é de admirar, pois o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz.” (2 Coríntios 11.13-14)

“O que receio, e quero evitar, é que assim como a serpente enganou Eva com astúcia, a mente de vocês seja corrompida e se desvie da sua sincera e pura devoção a Cristo. Pois, se alguém lhes vem pregando um Jesus que não é aquele que pregamos, ou se vocês acolhem um espírito diferente do que acolheram ou um evangelho diferente do que aceitaram, vocês o suportam facilmente.” (2 Coríntios 11.3-4)

Como utilizar o cinto da verdade

Chegou a hora de identificar os ataques malignos. Você já compreendeu a metáfora e também já sabe que existem muitas atividades no mundo espiritual que nos atingem no plano físico. Como saber quando essa realidade vem à tona? Como se defender contra algo que você não está vendo?

A Bíblia oferece vários exemplos e nos encoraja a enfrentar as batalhas desta vida, sejam elas físicas ou espirituais. Lembre-se de que você não precisa revidar, mas apenas se defender.

“Assim lhes diz o Senhor: Não tenham medo nem fiquem desanimados por causa desse exército enorme. Pois a batalha não é de vocês, mas de Deus.” (2 Crônicas 20.15)

Josafá recebeu mensageiros que anunciaram que um grande e numeroso exército estava se aproximando para destruir, literalmente, o povo de Deus. Imagine-se numa situação semelhante.

A má notícia chega de repente. O inimigo “sopra em sua mente” algo do tipo: “este será o seu fim” ou ainda “você será destruído”. Qual a sua reação a esse pensamento? Qual a verdade capaz de destruir essa mentira? Se você realmente já se “cingiu do cinto da verdade” terá condições de se defender adequadamente. A verdade bíblica diz:

“Vocês não precisarão lutar nessa batalha. Tomem suas posições; permaneçam firmes e vejam o livramento que o Senhor lhes dará…” (2 Crônicas 20.17)

Compreenda que a sua capacidade de reagir e responder aos problemas e dificuldades do mundo físico é algo determinante para o sucesso ou o fracasso de sua vida espiritual. Você pode até pensar: “Mas essa causa é impossível”. Aprenda a combater os seus próprios pensamentos com essa verdade libertadora: “Nada é impossível para Deus.” (Lucas 1.37)

E se o seu milagre não acontecer?

Muitos desanimam no meio da batalha porque se consideram vencidos, fracassados e até indignos. Por que isso acontece? Talvez porque essas pessoas oraram por algo específico e nada aconteceu como elas pediram.

Quer um exemplo? Se alguém que você tanto ama, adoece, qual a sua primeira reação? A maioria das pessoas ora a Deus e pede pela cura. Se for um câncer maligno, por exemplo, elas pedem desesperadamente por um milagre imediato.

Mas, algumas pessoas são curadas e outras não. É aí que muitos desanimam, porque entendem que foram derrotados pela má notícia de uma doença ou de uma morte.

Como se defender nessa hora?

A doença chegou (notícia ruim). Alguém que você ama está morrendo aos poucos (fato). Onde o maligno pode atuar nesse caso? Qual a mentira que ele pode “plantar” em sua mente num momento como esse?

Muitos erram feio ao julgar que a doença e a morte são enviadas pelo inimigo, porque ele não tem esse tipo de poder. O controle da vida e da morte está nas mãos de Deus. De quais verdades você deve se lembrar então?

“O Senhor mata e preserva a vida; ele faz descer à sepultura e dela resgata. O Senhor é quem dá pobreza e riqueza; ele humilha e exalta. Levanta do pó o necessitado e, do monte de cinzas ergue o pobre; ele os faz sentarem-se com príncipes e lhes dá lugar de honra. Pois os alicerces da terra são do Senhor; sobre eles estabeleceu o mundo.” (1 Samuel 2.6-8)

“Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?” (Lucas 12.25)

“Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir.” (Salmos 139.16)

A verdade é esta: Deus está no controle de todas as coisas e é a vontade Dele que prevalece e não a nossa. A Bíblia diz que Jesus se ajoelhou e orou assim: “Pai, se queres, afasta de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua.” (Lucas 22.42)

E Ele mesmo nos ensinou a orar, dizendo: “Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.” (Mateus 6.10)

Os princípios e valores deste mundo nos ensinaram a “lutar contra a vontade de Deus”. Se afaste dessa mentira, porque ela só vai tentar corroer o seu coração. Lembre-se do diálogo entre Jó e sua esposa:

“Sua mulher lhe disse: Você ainda mantém a sua integridade? Amaldiçoe a Deus, e morra! Ele respondeu: Você fala como uma insensata. Aceitaremos o bem dado por Deus, e não o mal? Em tudo isso Jó não pecou com os lábios.” (Jó 2.9-10)

A verdade é que Jó, apesar de ter sido um homem “íntegro e irrepreensível, que temia a Deus e evitava o mal” (Jó 2.3), teve que enfrentar grandes batalhas, entre elas, a perda de vários entes queridos e bens materiais. Ele passou pela dor do luto, da depressão, da humilhação e até da doença.

Jó é um grande exemplo de guerreiro. Através da vida dele, vemos a correta utilização da armadura de Deus. As verdades que Jó conhecia foram resistentes o suficiente para derrubar as mentiras lançadas sobre a vida dele. Em sua vida houve restituição, renovo e o retorno da alegria. A verdade é que tudo o que Jó viveu faz parte das nossas vidas também. A Bíblia nunca mentiu a esse respeito.

“Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo.” (João 16.33)

Conclusão

Vencer todas as batalhas nem sempre é sinônimo de estarmos livres dos sofrimentos. A morte faz parte da vida, e isso quer dizer que perderemos pessoas.

As doenças, os conflitos emocionais, as dores e as lágrimas fazem parte desse contexto. Muitos perderão seus empregos e terão de enfrentar crises financeiras. Os problemas são inúmeros.

O segredo do vencedor é passar por tudo isso e ainda assim continuar seguindo os passos de Cristo. A nossa meta não é só uma vida longa nesta terra, mas a vida eterna no céu.

“Pois, embora vivamos como homens, não lutamos segundo os padrões humanos. As armas com as quais lutamos não são humanas; pelo contrário, são poderosas em Deus para destruir fortalezas. Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo.” (2 Coríntios 10.3-5)

“Combata o bom combate da fé. Tome posse da vida eterna, para a qual você foi chamado e fez a boa confissão na presença de muitas testemunhas.” (1 Timóteo 6.12)

E esse foi o estudo desta semana. Espero que tenha tirado a sua dúvida e também colaborado para o seu crescimento espiritual. Beijo no coração e até a próxima, se Deus quiser!

Por Cris Beloni, jornalista cristã, pesquisadora e escritora.

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -