“Deixará pai e mãe”: entenda a importância dessa lição bíblica sobre casamento

spot_img

Mais lidas

Isso é parte de algo fundamental para o sucesso do casamento.

Família é um projeto de Deus, e ela é constituída através do casamento entre o homem e a mulher. Contudo, muitas vezes não compreendemos as implicações dessa união, nem como ela deve se estabelecer. Por isso a Bíblia nos ensina algo muito importante: “Deixará pai e mãe”.

O trecho dessa citação podemos encontrar em Gênesis 2:24, assim como em Mateus 19:5. Nesse último, Jesus foi questionado se seria “lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo”, no que ele respondeu nos versos 4, 5 e 6:

“Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, e disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.”

Resolvi chamar atenção sobre o trecho “deixará pai e mãe” porque ele possui muitas implicações para o casamento, motivo pelo qual também é, ao mesmo tempo, fonte de crises conjugais muito comuns.

Em sua infinita sabedoria, contudo, Deus nos faz essa orientação por diversas razões, e é o que vamos abordar em alguns tópicos a seguir.

Ligação emocional

Parte do sucesso no casamento depende da capacidade do homem e da mulher de se desligar emocionalmente da dependência paterna e materna. Note que na passagem, também no verso 5, o texto diz que “serão dois numa só carne”.

Isto significa um tipo de unidade que só é possível quando o casal está voltado para si. Ocorre que, em alguns casos, o marido ou a esposa, embora casados, ainda mantém um vínculo emocional com os seus genitores no sentido de dependência.

Não me refiro, obviamente, ao sentimento sadio de amor e cuidado que devemos ter com os nossos parentes. Me refiro à incapacidade do cônjuge conduzir o seu casamento sem a interferência externa do pai ou da mãe por questões de ordem emocional.

Experiências próprias

Outro elemento que podemos extrair da lição “deixará pai e mãe” é a necessidade do casal ter as suas próprias experiências em família. Ou seja, marido e mulher precisam assumir as suas responsabilidades, o que inclui sucessos e fracassos em todas as áreas da vida.

Em alguns casos, a vida conjugal é prejudicada porque os pais não permitem que os filhos, já casados, tenham o próprio espaço, quer seja no sentido literal (quando resolvem morar juntos) ou no afetivo.

Quando o casal mora junto com os pais, por escolha ou necessidade, é preciso haver a demarcação de limites de influência, de modo que cada família (porque nesse caso são famílias diferentes convivendo no mesmo espaço) tenha o seu próprio ritmo e estilo de vida.

Isso também diz respeito aos filhos (netos), cujo dever primordial de educar é dos pais, mesmo que convivam com os avós. Essa demarcação de influência é crucial para o desenvolvimento emocional e psicológico saudável das crianças, pois elas precisam ter referências de autoridade definidas.

Novos projetos e objetivos

Outra lição que extraímos do “deixará pai e mãe” é a necessidade da nova família ter os seus próprios objetivos. Quando o homem e a mulher se unem, eles constituem uma nova célula-base da sociedade, o que significa infinitas possibilidades.

É desejo de Deus que o casal tenha autonomia para tomar as suas próprias decisões, o que normalmente é dificultado quando outros interferem nesse processo de escolha, às vezes até de forma indireta, pela simples presença dentro do lar.

Intimidade e maturidade

Por último, outra importante lição da recomendação bíblica para o casal deixar “pai e mãe” diz respeito à necessidade de intimidade do homem e da mulher. Isso vai muito além do aspecto sexual, pois também envolve o sentimental e o cotidiano.

A intimidade somada às próprias experiências, com autonomia, gera maturidade diante da vida. Há muitos casos de casais que são imaturos porque não tiveram a chance de viver de forma emocionalmente independente dos pais, e por isso enfrentam vários problemas.

Os pais precisam colaborar nesse aspecto, mostrando aos filhos o caminho da independência e da responsabilidade. Isso não significa que o vínculo com pai e mãe deve deixar de existir, mas apenas que ele não deve ser trazido para a vida conjugal como algo dependente e, principalmente, acima do casal.

Como podemos observar, a recomendação bíblica do “deixará pai e mãe” não é casual. É parte de algo fundamental para o sucesso do casamento. Essa lição deve ser aplicada nos diferentes contextos, mesmo quando a necessidade faz com que o casal more junto com os pais. Se este é o seu caso, avalie essas dicas, pois elas certamente irão lhe ajudar.

Marisa Lobo é psicóloga, especialista em Direitos Humanos, presidente do movimento Pró-Mulher.

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -