Vida de alguns pastores impedem que falem sobre santidade, diz Piper

spot_img

Mais lidas

Pastor lembrou que a graça deve vencer o pecado.

Para o pastor John Piper, fundador e professor do DesiringGod.org e chanceler do Bethlehem College & Seminary, alguns pastores não falam sobre santidade por viverem uma vida de pecado.

Sua mensagem foi transmitida no Together For The Gospel, voltada para alertar pastores para evitar uma vida de pecado.

“Alguns pastores evitam pregar sobre a urgência e necessidade da santidade porque suas próprias vidas secretas estão moralmente comprometidas”, afirmou o pastor de 76 anos. “Eles estão perdendo tempo com ninharias. Estão assistindo a filmes que enchem suas mentes de mundanismo e impiedade. Eles estão se metendo em pornografia ou coisa pior.”

“Eles são desonestos em suas transações financeiras. Eles continuamente comem demais em escravidão à comida. Negligenciam o ensino de seus filhos nas coisas do Senhor e não oram com suas esposas. Eles estão começando a se medicar com vinho à noite, que uma vez chamaram de ‘liberdade’. Sua boca casual tornou-se grosseira. … E eles estão se tornando de segunda mão [ao] usar os sermões de outras pessoas”, continuou.

A conferência T4G aconteceu em Louisville, Kentucky, de 19 a 21 de abril. O evento contou com sermões de vários pregadores e contou com a presença de pastores de “mais de 25 denominações, todos os 50 estados e 62 nações”.

De acordo com o The Christian Post, Piper disse que alguns pastores apenas pregam sobre como o derramamento de sangue sacrificial de Jesus significa que há graça para o perdão, mas evitam compartilhar como a graça também deve vencer o pecado e levar a uma vida santa.

“[Alguns pastores] se cansaram do estudo bíblico frutífero. … É de se admirar que esses pastores preguem a graça para perdoar e não a graça para conquistar alguém? Não há mistério aí”, disse Piper.

“Eles erguem bem alto a cruz cobrindo todos os seus pecados e nunca fazem a conexão bíblica com o Crucificado. … Ele foi crucificado para conquistar sua pornografia. Ele foi crucificado para vencer sua preguiça. Ele foi crucificado para vencer nossa gula. Ele foi crucificado para vencer nossa desonestidade. Ele foi crucificado para trazer de volta a alegria de criar seus próprios sermões”, continuou.

Piper alertou sobre pastores que tendem a “evitar qualquer coisa que se aproxime do tipo de pregação que confrontaria as pessoas com seus pecados e arriscaria torná-las infelizes”.

“Existem pastores que estão tão profundamente infectados com a cultura mimada que vivemos na América contemporânea. Eles não são apenas hipersensíveis a serem ofendidos, mas no púlpito, eles têm medo de provocar o desagrado de alguém”, enfatizou.

“Há razões para essa relutância em pregar a urgência da santidade, e uma delas é a insegurança arraigada no pastor, [da qual eles nunca cresceram]. Nossas inseguranças podem vir de muitos lugares diferentes”, disse.

O teólogo acrescentou que alguns pastores lutam para serem “relutantes em pressionar a consciência de seu povo com exigências bíblicas de santidade porque temem a repreensão de Jesus”.

Por Gospel Prime

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -