Líder relata milagres para refugiados ucranianos

spot_img

Mais lidas

Eles estão recebendo ajuda humanitária da igreja polonesa

Imagens de civis executados e hospitais bombardeados dominaram os noticiários desde que Vladimir Putin lançou sua guerra contra a Ucrânia. No entanto, outra história está emergindo dessa batalha, uma história do que Deus está fazendo por meio de Seu povo ao estender a misericórdia e a compaixão de Cristo aos refugiados.

Segundo o líder pentecostal polonês Marek Kaminski, alguns testemunhos da provisão divina estão se revelando na Polônia enquanto os crentes pentecostais ministram a milhões de refugiados da invasão russa na Ucrânia.

A Polônia é uma nação com cerca de 38 milhões de pessoas. Os evangélicos poloneses são menos de 60.000. Existem menos de 600 igrejas protestantes no país, a maioria de pequeno porte e com recursos financeiros limitados. A Igreja Pentecostal da Polônia é a maior desses grupos, com cerca de 275 igrejas.

Apesar de seu número limitado, esses crentes forneceram comida, roupas, moradia e transporte para milhares de refugiados, e nenhum deles foi recusado.

Marek Kaminski não parece um herói e nem se destaca na multidão. Em outro lugar e em outra época, esse homem de fala mansa e estatura mediana pode ter sido um professor universitário. Sua tese de doutorado examinou a história do movimento pentecostal na Polônia. Mas a sua aparência desmente sua fé apaixonada na capacidade de Deus de prover o Seu povo. É mais fácil vê-lo em um quadro-negro do que coordenar a resposta humanitária de milhares de crentes pentecostais.

Mas quando ele fala, exala uma confiança e uma determinação gentil de cuidar de todas as pessoas que cruzam a fronteira.

De acordo com ele, inicialmente não houve muita ajuda do Ocidente. Eles não poderiam esperar. Foi quando os milagres da provisão começaram.

Por causa das políticas rígidas de Vladimir Putin, o preço do gás subiu 53% em questão de semanas. O aumento de preços representaria uma séria dificuldade para as pequenas igrejas polonesas em tempos normais; mas com a chegada maciça de refugiados, os pastores precisaram movimentar as igrejas 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Lentamente, o dinheiro apareceu – primeiro de dentro da Polônia, depois de outras fontes. O líder relata que chegaram ajuda de todos os meios, da América, menos do governo. As igrejas locais receberam ajuda de restaurantes.

À medida que a maré da guerra mudou e o exército ucraniano expulsou os russos de Kiev, “passamos a enviar alimentos e suprimentos médicos para a Ucrânia”, disse Kaminski.

As igrejas também mudaram sua abordagem para ajudar os refugiados na Polônia.

Por Charisma News

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -