Bíblias enviadas a China encoraja cristãos em meio ao lockdown prolongado

spot_img

Mais lidas

Proibidos de se reunir para cultuar presencialmente e online, os chineses receberão Bíblias em áudio.

A dura política da China no combate a Covid-19 tem prolongado o isolamento social da população. Desde o final de março, quando o número de casos aumentaram em Xangai, milhões de chineses estão confinados em suas casas.

Com as taxas de infecção aumentando fora das áreas de quarentena, o governo comunista anunciou que as restrições continuarão. Segundo a Mission Network News, os cristãos estão lutando em todo o país.

“É um verdadeiro desafio para as igrejas; algumas não se reúnem há algum tempo”, relatou Kurt Rovenstine, líder da organização cristã Bibles for China, que envia exemplares das Escrituras ao país. “Nosso pessoal disse que eles não conseguem tomar Santa Ceia há mais de 2 anos”.

Além dos bloqueios da pandemia impedirem os crentes chineses de cultuarem nas igrejas, também tem impedido o envio de Bíblias para os cristãos em zonas rurais da China. Por isso, a Bibles for China começou a explorar outras formas de levar a Palavra de Deus aos que mais necessitam.

A missão enviará Bíblias em áudios que podem ser entregues mais facilmente e ainda atende deficientes visuais, idosos e pessoas analfabetas.

“[Os reprodutores de áudio] podem ser colocados no correio e entregues no Escritório Provincial ou deixados na casa de alguém. Nosso primeiro lote será entregue este mês; uma espécie de teste para ver o quão bem eles funcionam e se são bem recebidos”, explicou Kurt.

Segundo ele, as Bíblias em áudio também poderão ser utilizadas em pequenos grupos, já que podem ser carregadas com pregações dos líderes locais.

“Estamos empolgados com essa [oportunidade]. É um pouco diferente para nós, mas os líderes estão pedindo e acham que fará a diferença”, concluiu Kurt.

Ditadura chinesa dificulta acesso à palavra de Deus

Em maio de 2021, houve um movimento para reprimir ainda mais o Cristianismo em todo o país. O governo chinês mandou remover aplicativos da Bíblia e as contas públicas do Christian WeChat.

As autoridades anunciaram “novas medidas administrativas altamente restritivas” sobre grupos religiosos. Bíblias impressas não estão disponíveis para venda online.

Em março deste ano, o Partido Comunista Chinês também proibiu cultos online e qualquer tipo de conteúdo religioso na web, como pregações, sob pena de punição.

Ocupando o 17º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2022, a China tem exercido extrema pressão sobre aqueles que seguem a Cristo. Está ficando cada vez mais difícil para a Igreja na China tentar se alinhar à ideologia oficial.

Por Guiame

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -