Ressurgir

spot_img

Mais lidas

É impressionante a facilidade como o mundo desvirtua o significado dos eventos bíblicos. Nos dias atuais, grande parte da humanidade, quando pensa em Páscoa, pensa em chocolates e coelhos, em almoços de família e presentes, e nem mesmo ouviu falar sobre o real motivo da Páscoa.

A Páscoa foi um evento orquestrado pelo próprio Deus, visando a preparação para a libertação da escravidão egípcia – fato que deveria ser lembrado pelas gerações seguintes. Séculos mais tarde, quando o Filho de Deus encarna como Filho do homem, a Páscoa era comemorado pelos judeus, e Jesus participou de muitas destas festividades durante a sua vida terrena.

Em sua a última festa Pascoal, Jesus foi crucificado. Dias antes, no domingo que antecedia a Páscoa, ele entra em Jerusalém sendo saudado com hosanas por aqueles que buscavam um libertador do domínio romano. Contudo, na quinta-feira, depois de cear, lavar os pés dos discípulos e cantarem um hino juntos, Jesus é levado preso após receber o beijo de saudação do seu traidor. Jesus foi crucificado na sexta feira, às nove horas da manhã, no horário do sacrifício da manhã, e morre às três horas da tarde, no horário do sacrifício da tarde. Tudo estava consumado e e foi devidamente cronometrado por Deus, que rege a história humana de forma magistral. Na cruz estava o perdão, a redenção, a graça. A maior prova de amor. O justo que aceitou a pena que não era dele.

O dia de sábado, reservado para o descanso judaico, foi um dia doloroso para os discípulos de Jesus. O mestre estava morto! O que seria deles agora? Voltariam para as suas casas? Estavam vivendo uma ilusão, um pesadelo?

No domingo, a notícia se espalha: Jesus ressuscitou! A pedra foi removida, o sepulcro estava vazio, o mestre estava vivo!

Ele ressurgiu. Trouxe com ele as chaves da morte e do inferno, vencendo o pecado e garantindo nosso acesso direto ao trono de Deus. Não há mais véu que nos separa, e todos podemos ter acesso à Graça, através do sacrifício perfeito de Jesus na cruz.

Quando celebramos a ressureição, celebramos a vida eterna. Um dia, estaremos livres do corpo mortal, e ressurgiremos glorificados pra a eternidade.

E enquanto aguardamos a bendita esperança, em Jesus, todos os dias ele pode fazer ressurgir sonhos e alegrias que foram mortas pelos dias difíceis. Com Jesus podemos fazer ressurgir a fé que ficou enfraquecida por conta das dúvidas do dia a dia. Podemos, inclusive, permitir que Deus faça ressurgir em nós o seu amor, para que possamos verdadeiramente amar o próximo.

Busque o ressurgimento da sua fé, do seu primeiro amor, da sua alegria da salvação. Não se permita morrer quando conhece a Vida.

Por Elaine Cruz é psicóloga clínica e escolar, com especialização em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade.

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -