Vietnã aprova textos religiosos para uso em prisões

spot_img

Mais lidas

Ministros aprovaram uma lista com 17 livros, incluindo a Bíblia, para ser distribuído 4.400 exemplares para 54 prisões

Autoridades vietnamitas anunciaram no início de abril deste ano, planos para entregar milhares de livros religiosos nas prisões do país. Apesar da iniciativa, ex-presidiários e ativistas afirmam que os presos ainda serão proibidos de praticar livremente sua fé enquanto estiverem encarcerados. 

De acordo com um relatório da Rádio Free Ásia (RFA) vários ministérios do governo colaboraram para aprovar uma lista de 17 livros, incluindo a Bíblia, e distribuir 4.400 exemplares para 54 prisões. Esses livros incluem textos religiosos e teológicos, livros sobre a história das religiões e até análises das leis vietnamitas sobre religião. 

Para o major-general Thuong Van Nghiem, vice-diretor do Departamento de Segurança Interna do Ministério da Segurança Pública, esse plano demonstra o compromisso do país em garantir a liberdade religiosa e transmite uma mensagem sobre seus esforços para apoiar os direitos civis, políticos e humanos. 

Apesar das afirmações promissoras, as minorias religiosas do Vietnã ainda não estão convencidas da eficácia do plano. 

Tran Minh Nhat, um católico que foi preso de 2011 a 2015 sob a acusação de “tentar derrubar o governo”, disse ao Serviço Vietnamita da RFA que a distribuição dos livros é uma ação de relações públicas do governo comunista do Vietnã. 

“Na maioria dos casos, a inclusão de escrituras ou publicações religiosas é principalmente para fins de embelezamento. O governo ou o Ministério da Segurança Pública revisam e fornecem publicações religiosas principalmente para enganar a opinião pública e cobrir os olhos do público, não para atender às necessidades daqueles que estão cumprindo penas de prisão. É só por fazer” , disse. 

Nhat passou um tempo em seis prisioneiros diferentes durante sua sentença de cinco anos. Em cada um, os presos eram proibidos de ter suas próprias Bíblias, escrituras budistas ou qualquer publicação religiosa, mesmo itens que tivessem sido licenciados pelo governo. Prisioneiros de qualquer religião são proibidos de orar em grupos, disse ele. 

O governo vietnamita nunca se importou com direitos religiosos, políticos ou étnicos, disse Siu Wiu, que passou 13 anos na prisão por “perturbar a segurança” ao realizar rituais protestantes em público, disse à RFA. 

“Os comunistas nunca dizem a verdade. Dizem uma coisa, mas fazem outra. Eu sou a prova viva de que isso não existe” , disse ele.  

Durante seus anos na prisão, Wiu só conseguiu orar sozinho e em silêncio, pois os prisioneiros não tinham permissão para orar publicamente. 

As punições por praticar sua religião eram severas. 

“ Uma vez minha esposa me visitou e contrabandeou uma Bíblia em um pacote de macarrão instantâneo para mim. Quando os funcionários da prisão viram a Bíblia, eles me acorrentaram por sete dias”, disse Siu. 

“Antes disso, fui disciplinado e algemado por duas semanas e depois colocado em confinamento solitário por seis meses porque uma vez, quando liguei para casa, pedi às pessoas da aldeia que orassem por mim aos domingos” , disse ele. 

O último relatório da Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos EUA, divulgado em 7 de fevereiro de 2021, marcou o 15º ano consecutivo em que o Vietnã foi incluído pelos EUA em sua lista de “países de particular preocupação” em liberdade religiosa por causa de sua repressão à grupos religiosos independentes não reconhecidos pelo governo. 

Por International Christian Concern (ICC)

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -