O renovo, o azeite e a luz (primeira parte)

spot_img

Mais lidas

Em Zacarias, vemos o Senhor diagnosticando a necessidade espiritual de Israel. Deus faz um diagnóstico do estado de saúde espiritual do seu povo e procura prevenir as causas. A visão do capítulo 4 de Zacarias e a sua tipologia especial indicam esse diagnóstico do Senhor, Médico do seu povo, e o que Ele fará para a cura.

Em cerca de 519aC, o povo havia voltado do exílio babilônico e se defrontado com enormes dificuldades. Havia oposição dos povos vizinhos. Não havia recursos materiais para a restauração econômica. Os líderes do povo, tanto no campo político quanto no religioso, eram incompetentes para resolver os problemas que afloravam, de ordem moral, material e espiritual. Seus dois principais líderes, Zorobabel e Josué, estavam desmotivados e sem forças para agir. O desejo de reconstruir o Templo era enorme, mas não havia motivação. O nível espiritual do povo era baixíssimo. Não havia esperança no coração do povo. O pessimismo tomara os corações e mentes.

Foi em meio a esse estado caótico que Deus entrou em ação. A visão veio em meio a um turbilhão de problemas. Quando os recursos são poucos e pequenos, Deus entra em ação. Ele enviou seu anjo para falar com Zacarias, que se tornou o canal da sua voz aos líderes e todo o povo, pois o Deus Todo-Poderoso se apresenta na vida dos seus como Jeová-Jireh, Aquele que provê todas as coisas.

“E me disse: Que vês? E eu disse: Olho e eis um castiçal todo de ouro, e um vaso de azeite no cimo, com suas sete lâmpadas; e cada lâmpada posta no cimo e sete canudos para as sete lâmpadas”, Zc 4.2.

Entre os materiais da liturgia hebreia, o castiçal era uma peça única de ouro que fazia parte dos serviços sacerdotais. Ele tinha ao todo sete lâmpadas que serviam para iluminar o ambiente fechado e escuro do Lugar Santo e do Lugar Santíssimo, espaços que simbolizavam a vida espiritual de Israel, onde os sacerdotes ministravam. Por ser o símbolo de maior relevância da vida religiosa de Israel, Deus resolveu mostrar o estado espiritual do seu povo mediante um castiçal apagado, sem luz e esquecido.

Típico da ação divina, Deus usa os dois principais líderes do povo, Zorobabel e Josué, mesmo eles estando tão fragilizados. Eles são despertados em seus ânimos e renovados.

A figura é a de um castiçal sujo, esquecido e apagado, com seu pavio velho e endurecido sem a menor condição de produzir luz, mas o Senhor estava pronto para renovar esse pavio, limpar o castiçal e prover um novo azeite para que Israel voltasse a manifestar a luz de Deus perante o mundo.

A lição simples que aprendemos é que, às vezes, o pavio da nossa vida espiritual torna-se incapaz de canalizar luz. O pavio é um elemento material que fica entre o fogo e o azeite. A função do pavio é veicular o óleo para a centelha de fogo. Se o mesmo estiver seco e duro, não absorverá o óleo e poderá apenas queimar e chamuscar o castiçal. O que Deus queria mostrar a Zacarias era que Josué e Zorobabel podiam ser fracos e incapazes de reagir como um pavio de lamparina, mas Ele poderia renová-los e embebê-los com um novo óleo, inflamando-os para se tornarem uma grande luz.

Pastor Elienai Cabral é conferencista, teólogo, membro da Casa de Letras Emílio Conde, comentarista de Lições Bíblicas da CPAD, membro do Conselho Administrativo da CPAD

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -