Cristãs enfrentam pressão dentro de igrejas no Norte da África

spot_img

Mais lidas

Os princípios da cultura islâmica influenciam na pressão que algumas cristãs enfrentam nas igrejas

A vida da mulher no Norte da África é difícil e super desvalorizada. A mulher cristã, também não é vista tão diferente das demais, na região, devido aos valores e princípios islâmicos enraizados. Mesmo após terem um encontro com Jesus, é necessário que haja um trabalho de conscientização sobre a valorização do gênero feminino.

Com a ajuda de Nélya*, muitas mulheres cristãs descobriram uma nova identidade em Jesus, e aprederam a agir conforme os fundamentos do Reino de Deus.

A Portas Abertas, que fornece ajuda para que esse trabalho seja realizado, afirma que não é uma questão sobre ensinar usos e costumes, mas que, com doutrinas bíblicas elas apendem como deve ser uma discípula de Cristo. “As mulheres nas áreas rurais enfrentam mais dificuldades. É muito difícil para elas serem ouvidas. Nas cidades, elas já assumem responsabilidades em algumas igrejas”, explica a líder cristã.  

A pressão sobre as mulheres solteiras, assim como na cultura islâmica, também acontece dentro de igrejas, que valoriza mais as casadas e veem as solteiras como incompletas. Essa intimidação, acaba resultando em casamentos fadados ao divórcio. A mulher cristã, em busca de receber a aprovação dos irmãos na fé e da sociedade, se sujeita a casar até mesmo com muçulmanos, o que muitas vezes abala sua fé, ou passam a adoram ao Senhor em segredo. Raros são os casos em que o marido também se converte ao cristianismo.

“Senti a pressão para me casar também na minha igreja. O sentimento era de que eu precisava me casar senão arruinaria minha vida”, conta a Nélya.

No Norte da África, as mulheres são comumente resumidas à esposas obedientes aos maridos e mãe perfeitas. Quando fazem algo que aborreça o cônjuge, eles acreditam que a esposa deva ser castigada fisicamente. “Mesmo como cristãs, as mulheres sentem que os homens têm o direito de bater nelas quando não agradam ao marido”, lamenta a cristã. 

Devido a essas concepções erradas também dentro da igreja, a Portas Abertas juntamente com a Nélya e outros líderes cristãos, se esforçam para reverter esse cenário, realizando um trabalho de conscientização do papel bíblico da mulher, tanto para homens quanto para mulheres.

“Eu diria que as mulheres recebem pelo menos um pouco mais de valor na igreja do que fora dela. Estamos remodelando a forma como as mulheres são vistas. Agora você vê mulheres em posições de liderança. Mas também vê diferença nos casamentos e no ensino da igreja — eles ensinam respeito pelas mulheres”, afirma a líder.


Por Portas Abertas

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -