Os benefícios do trabalho em equipe para a Gestão da Escola Dominical

spot_img

Mais lidas

O trabalho de gestão da Escola Dominical não acontece de forma individual, e sim, coletiva. É o resultado de uma sequência de ações realizadas pelos colaboradores que integram o departamento de educação cristã da igreja.

É nessa ocasião que surge a necessidade de uma gestão capaz de direcionar o trabalho pedagógico com foco no desenvolvimento da aprendizagem e aquisição de conhecimento bíblico. Trabalhar de forma inteligente nem sempre significa que o gestor tem posse das melhores ideias. Pelo contrário, sua eficiência se mostra ao explorar as competências pedagógicas encontradas em cada colaborador de sua equipe.

Na educação todos tem voz e devem expressar a sua leitura da realidade a fim de que o exercício democrático resulte no aprimoramento do trabalho pedagógico. A coleta de informações advinda da equipe é fundamental para que o gestor tenha o conhecimento das particularidades de cada trabalho realizado e tenha segurança na tomada de decisões. O sucesso da gestão da Escola Dominical deve caminhar lado a lado com a opinião de todos os professores e integrantes da equipe pedagógica.

Por fim, é importante ressaltar também que a reflexão coletiva é essencial para que haja o amadurecimento das ideias. A participação de cada integrante gera um sentimento de pertencimento na construção do trabalho coletivo e produz crescimento ministerial e espiritual aos envolvidos. Os resultados obtidos são os mais variados e podem resultar em mudanças significativas na qualidade dos trabalhos realizados na Escola Dominical.

Gestão inteligente e eficiente

Como acontece em toda instituição escolar que preza por funcionar de forma adequada o comprometimento dos integrantes em cumprir os papéis que lhes foram atribuídos é imprescindível para que os objetivos propostos pela educação sejam alcançados.

Nesse contexto, a habilidade do gestor faz a diferença, pois é dele a competência de direcionar o trabalho pedagógico e delegar as responsabilidades na realização das tarefas. Para tanto, o gestor precisa perceber a necessidade de descentralizar o trabalho da supervisão e desburocratizar os procedimentos a serem executados. Diga-se de passagem, a ausência dessa medida tem sido o motivo de tanta dificuldade em executar o trabalho pedagógico em equipe nos mais diversos setores da educação.

A gestão centralizadora compromete a execução dos trabalhos e provoca ruídos na comunicação. Como resultado, muitos professores terminam por aplicar os conteúdos de modo individualista e restrito, sem que haja diálogo entre gestão e equipe pedagógica, quando na verdade o processo educacional é, por natureza, democrático.

Ouvir a equipe pedagógica: um exercício indispensável ao gestor

O exercício da gestão é um trabalho que requer ao gestor a flexibilidade para ouvir seus liderados. Em muitas ocasiões, as melhores ideias são resultados do conhecimento de causa e vivência dos professores que estão em constante contato com os alunos. Por isso, saber ouvir os liderados é o caminho para o sucesso de qualquer liderança.

Segundo o educador português Antonio Nóvoa, “A competência coletiva é mais do que o somatório das competências individuais” (2009). Explorar as capacidades individuais, reconhecer o trabalho e a leitura de realidade de cada colaborador, ouvir as diferentes opiniões sobre um mesmo tema são ações que tornam o trabalho de uma equipe mais eficiente. Neste caso, cabe ao gestor, ponderar e conciliar as observações apontadas pelos professores para que o exercício democrático resulte em estratégias funcionais e aplicáveis no contexto da Escola Dominical para todas as classes.

Se por um lado encontram-se os entraves do processo administrativo e suas burocracias, isto é, a organização de documentos, o controle de informações, horários e recursos didáticos, por outro, nos deparamos com a pouca proatividade e criatividade de alguns gestores. O superintendente precisa conhecer a realidade da sala de aula e sugerir estratégias que possam melhorar os níveis de ensino e produtividade dos professores. É um trabalho que envolve supervisão pedagógica e orientação pedagógica. Destarte, a comunicação contínua é o primeiro passo para o progresso.

Outra medida importante é o registro das informações. A coleta de dados, tanto a pesquisa sobre o que tem acontecido nas igrejas e tem dado certo nos espaços educacionais, como a opinião dos professores e de toda a equipe pedagógica são fundamentais para o avanço dos trabalhos. Tais medidas demonstram o compromisso do gestor com a organização, planejamento e excelência na entrega dos serviços realizados pela equipe pedagógica.

A importância de uma gestão democrática nos espaços da Escola Dominical

A reflexão coletiva é essencial para que haja o amadurecimento das ideias. A participação de cada integrante da equipe gera um sentimento de pertencimento ao processo que visa a tomada de medidas que resultem em mudanças significativas ao ambiente escolar. Seja de ordem secular ou nos ambientes eclesiásticos, o compartilhamento das ideias é extremamente necessário para o aperfeiçoamento do trabalho docente.

Evidentemente que é natural que ocorram divergências de opiniões, de práticas de ensino e de perfis comportamentais. Todavia o somatório das diferenças contribui de forma eficiente para a melhoria do ensino. Não é diferente nos espaços da Escola Dominical, objeto de nosso estudo.

A gestão democrática é imprescindível porque torna o planejamento pedagógico eficiente a partir das observações feitas pelos professores. Afinal de contas, são eles que mantêm contato direto com os alunos e, por esse motivo, podem claramente descrever quais são as maiores necessidades de aprendizagem das classes.

A proposta é conciliar de modo democrático as ideias, conhecimentos e experiências vivenciadas por cada professor, e aplicá-las como ferramentas, adequando-as a cada nova realidade deparada em sala de aula. Isso inclui o compartilhamento de métodos e recursos pedagógicos, cujos resultados têm sido observados.

Considerações finais

Por fim, vale destacar que a Escola Dominical é uma organização escolar doutrinária. As mudanças significativas são o resultado de práticas pedagógicas aprimoradas que atendem ao desenvolvimento intelectual e espiritual dos alunos. Para tanto, a gestão da equipe pedagógica deve prezar pela integração e troca de informações constantes entre os seus cooperadores.

Ouvir a demanda dos professores, mais do que tomar nota das necessidades específicas de cada classe, é reconhecer o empenho e o trabalho dos integrantes da equipe. O sucesso final é resultado do brilhantismo e comprometimento da cada colaborador.

O reconhecimento, a aprovação e o elogio, assim como, os apontamentos e melhorias necessárias mostram que o trabalho de cada cooperador é bem visto. São medidas como estas que servem de estímulo, aprimoramento e consolidação do trabalho pedagógico. O resultado final, certamente, será uma Escola Dominical de excelência.

Por Thiago Santos – Pedagogo, especialista em Gestão Escolar, especialista em Docência e Gestão do Ensino Superior, Editor responsável das revistas Juniores e Pré-adolescentes da CPAD

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -