Maioria das pessoas não ouvem sobre Deus de seus amigos cristãos, diz pesquisa

spot_img

Mais lidas

O problema em alguns países parece não ser a falta de liberdade de religião, mas a falta de comunicação.

Embora os americanos estejam curiosos sobre a fé em Cristo e demonstrem interesse em conversar sobre o assunto, a maioria diz que raramente falam sobre Deus com seus amigos cristãos.

Isso é o que mostra uma pesquisa realizada pela Lifeway Research — organização americana que fornece informações sobre a realidade cultural do país. Esse tipo de pesquisa ajuda os cristãos a compreender suas congregações e comunidades.

Mas, por que será que os não cristãos não conversam sobre fé com os crentes? “Na verdade, os cristãos não estão deixando a espiritualidade vir à tona”, explicou Scott McConnell, diretor executivo da Lifeway.

“Não se trata de liberdade religiosa ou que religião esteja fora dos limites. A maioria dos entrevistados disse que seus amigos cristãos não costumam falar sobre suas crenças religiosas”, continuou.

Dados da pesquisa

Metade dos americanos (51%) dizem estar curiosos para saber por que algumas pessoas são tão dedicadas à sua fé. Em meio a essa curiosidade, no entanto, 60% dos entrevistados dizem que muitos de seus amigos que afirmam ser cristãos raramente falam sobre sua fé.

A pandemia tem sido um fator relevante para a mudança de cenário. Conforme a pesquisa, para um terço dos americanos (32%), o Covid-19 os tornou mais interessados pela fé. Somente 7% dizem que estão menos interessados ​​agora em comparação com antes da pandemia. A maioria dos americanos (61%) diz que a pandemia não mudou seu interesse em assuntos espirituais.

Dois em cada cinco americanos (40%) dizem que não pensariam em fé por conta própria, a menos que um amigo ou membro da família o mencionasse.

“A ironia é que a fé intriga muitas pessoas, mas muitos cristãos ávidos não conseguem compartilhar por que essa fé é tão importante em suas vidas”, disse McConnell.

Testemunhos impactam mais

Dois terços dos americanos, no entanto, dizem que estão abertos a diferentes tipos de conversas espirituais com um amigo e 36% dizem que são muito abertos para conversar com um amigo sobre ter um relacionamento com Deus.

O resultado quando a pergunta é a conversa sobre fé com um estranho, é um pouco diferente: “Menos americanos estão abertos a esse tipo de conversa com pessoas que não conhecem, mas ainda assim, pelo menos metade falará sobre assuntos espirituais com um estranho”.

51% dizem estar pelo menos abertos a discussões de fé com um estranho e 26% mais dispostos.

“A religião é um assunto tabu para alguns, mas na verdade são poucas as pessoas que se sentem assim se for entre amigos”, disse o pesquisador. “Normalmente, não há como saber com antecedência se alguém rejeita o assunto da fé, mas a maioria está aberta a falar sobre isso”, observou.

McConnell cita também que há diferentes tipos de conversas e que as que mais impactam e influenciam são aquelas em que a pessoa mostra que o relacionamento com Deus está mudando sua vida.

O estudo encomendado pela Evangelism Explosion foi realizado de forma on-line com 1.002 americanos, entre os dias 8 a 17 de dezembro de 2021. A amostra fornece 95% de confiança e a margem de erro é de 3,3% para mais ou para menos.

Por Guiame

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -