População cristã na Síria desaparece com guerra

spot_img

Mais lidas

Último cristão relatou que cidade já teve mais de 10.000 cristãos

A perseguição religiosa e a guerra expulsaram os cristãos da Síria, lembrou o último cristão de Idlib, Michel Butros al-Jisri, de 90 anos.

De acordo com a International Christian Concern, a maioria dos moradores da cidade saiu em 2015, quando a oposição assumiu o controle.

Sem filhos, família ou congregação da igreja, Butros vive, adora e reza sozinho. Ele compartilhou com Al-Monitor: “Minha família é da cidade de Idlib. Minha família e eu morávamos aqui nesta casa, que se tornou parte de mim, e não a deixarei, aconteça o que acontecer. Meus irmãos se mudaram para Aleppo enquanto meu pai, sua esposa e eu escolhemos ficar.”

Seus pais já morreram, mas Butros continua firme em seu compromisso com sua casa.

Idlib já foi o lar de uma comunidade cristã moderada que vivia ao lado da maioria muçulmana com pouco atrito.

Uma igreja ortodoxa grega foi construída em 1886 e uma Igreja Evangélica Nacional surgiu anos depois, fornecendo lugares para os cristãos minoritários adorarem.

A província de Idlib já abrigou 10.000 cristãos, mas os números começaram a diminuir em 2012 e depois drasticamente em 2015, quando a oposição assumiu. Hoje, os cristãos representam menos de 1% dos moradores de Idlib.

Por Guiame

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -