AD Campina Grande apoia missão em campo de refugiados no Oriente Médio

spot_img

Mais lidas

Trabalho missionário na fronteira da Jordânia com a Síria, começou em 2011, e atende mais de 100 famílias

Em meio ao grande número de refugiados que fugiram para a Jordânia devido a guerra na Síria, as missionárias brasileiras, Paloma Ribeiro, membro da Igreja Assembleia de Deus de Campina Grande-PB, na pessoa do pastor presidente, Daniel Nunes e do secretario de missões pastor Pedro Tadeu, e Eline Cuvello, membro da Igreja Batista da Vila da Penha- RJ, iniciaram o projeto no A’ylah Center, em 2011.

A palavra A’ylah significa família próxima, em árabe, que não é apenas considerado o pilar da sociedade, mas também o foco principal dessa missão. Por estar inserido em um contexto muçulmano, onde é proibido a pregação do Evangelho, a principal estratégia do projeto é que cada casa de família muçulmana convertida a Cristo, se transforme em uma igreja.

No início, as irmãs se depararam com uma situação muito desafiadora, já que não sabíam como lidar com tantas pessoas feridas e traumatizadas pelas perdas que a guerra as causou.

Elas relatam que, ao chegar na fronteira da Jordânia com a Síria, tiveram o privilegio de ver as mãos de Deus criando oportunidades e as fortalecendo para receberem aqueles que perderam a terra, a pátria, os sonhos e a dignidade.

“Naquela fronteira guardada por soldados extremamente armados, pudemos receber, abraçar e acolher mulheres, homens e crianças, marcados pela violência e pela dor causadas por aqueles que querem impor o seu poder e aumentar a sua riqueza derramando sangue inocente”, compartilharam.

A missão começou com a adoção de 25 famílias refugiadas, que recebiam assistência medica, psicológica e espiritual. A equipe, formada inicialmente apenas pelas duas cristãs, foi crescendo pouco a pouco, e hoje contam com a ajuda de 30 voluntários. Mais famílias também foram sendo acolhidas ao longo do tempo, e atualmente, somam 100 famílias, além de muitas outras que recebem atendimento no A’ylah Center.

“Nosso objetivo é dar à estas famílias um sentimento de pertença e oportunidades para ajudá-las a reintegrar a sociedade, tornando-as membros ativos e produtivos. Deste modo é possível criar relacionamentos com eles e assim concretizar o objetivo pelo qual este projeto existe, que é a pregação do Evangelho”, afirmam.

O A’ylah Center oferece diversos cursos e workshops, para as crianças e adultos. São ministradas aulas de inglês, piano e violão; desenvolvem atividades esportivas, como pilates, escola de futebol, escola de taekwondo; além de trabalhos lúdicos para crianças pre-escolares. São ofertadas ainda, atividades de artes e artesanato, como decoupage, joalheria, pintura e marcenaria; no serviço social, com despensa de alimentos e visitas; e também desenvolvendo habilidades profissionais, como, costura e tricô, eletricista, curso de computação, reciclagem.

A mensagem de Cristo nos traz o ensinamento sobre a importância do servir, e as missionárias compartilham que durante todo esse projeto, e a cada encontro com as famílias refugiadas, Deus confirmava a elas, o verdadeiro significado do Evangelho:

“Nestes 10 anos que temos trabalhado na fronteira com a Síria, descobrimos o significado autêntico de viver a fé que nos leva a reconhecer Deus presente em todas as situações. E esta mesma fé nos impele a abrir espaço para que ninguém sinta que não tem um lugar nesta terra. Quando experimentamos este privilegio de servir aos refugiados, entendemos o que significa transformar a força do medo em força do amor. O amor que não se habitua à injustiça como se fosse algo natural, mas tem a coragem, no meio de tensões, traumas, conflitos, sofrimento e perdas de se fazer presente. Em Jesus, Deus vem ao nosso encontro para nos tornar protagonistas da vida que nos rodeia. Para que n’Ele não tenhamos medo de tomar nos braços, levantar e abraçar o refugiado. Foi esta experiência que nos despertou da nossa indiferença e nos abriu os olhos perante quem sofre”, relatam.

Projeto Portas do Refúgio

O Portas do Refúgio, é um projeto secundário da Aylah Center, que visa atender crianças em idade pre escolar, dando atendimento pedagógico e psicológico.

Apesar de já terem idealizado esse projeto há alguns anos, não tinha sido possível realizá-lo ainda, por falta de recursos. Mas com a intervenção de Deus, que é poderoso para fazer e usar as pessoas e as instituições de maneira sobrenatural, este espaço foi concretizado pela Secretaria Nacional de Missões – SENAMI, com o apoio do Dr.Thalles Feliciano e sua esposa.

A necessidade desse espaço específico, acontece pelo fato de que muitas das crianças sírias em idade pré escolar são nascidas na Jordânia (já que a guerra começou a 10 anos atrás). Essas crianças nasceram sem uma identidade pátria, pois, apesar de terem nascido na Jordânia, elas não são consideradas jordanianas e não possuem os mesmos direitos à educação. De acordo com seus registros, elas são sírias refugiados na Jordânia.

Segundo Paloma e Eline, o objetivo do Aylah Center é construir nestas crianças uma identidade alicerçada em princípios e valores que os formam como cidadãos que pertencem a um povo, que apesar de não ter uma terra para chamar de sua, são capazes de ser resilientes e superar as adversidades causadas pela guerra, e ter um futuro melhor.

O Aylah Center acredita que as crianças são verdadeiras portas para evangelizar suas famílias, por isso, nesse espaço, além de serem elaboradas atividades que desenvolvam a construção da própria identidade; consciência corporal; melhoria na coordenação motora; melhoria na expressão corporal e verbal, e estímulo à criatividade, será trabalhado principalmente os ensinamentos bíblicos.

“Cremos em uma geração que irá declarar que Deus é grande, e que Jesus é o único salvador de suas vidas. ‘ Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele – Provérbios 22.6´ “, citam.

Por  A’ylah Center 

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -