Cristã ex-muçulmana é atacada por irmão que descobriu sua conversão, na Uganda

spot_img

Mais lidas

Após 20 anos mantendo sua fé em segredo, cristã é descoberta

Cristã ex-muçulmana é atacada por irmão que descobriu sua conversão, na Uganda

Uma cristã no leste da Uganda manteve sua fé em segredo por mais de 20 anos, mas ao ser foi descoberta pelo seu irmão, que é muçulmano, foi ameaçada de morte e atacada com uma faca.

Nanzala vive em uma vila próximo a Kasasira, e contou que logo após se converter ao cristianismo, deixou o marido, também muçulmano, e foi morar com as filhas junto de sua mãe, de quem cuida devido a idade avançada.

Certo dia, seu irmão Kowa Mugooda, a encontrou lendo a Bíblia, e questionou sobre sua fé. Nanzala contou ao Morning Star News que ficou quieta, e ele saiu, balançando a cabeça, como quem não quissesse acreditar. Porém, nos dias seguintes, Mugooda continuou a pressionar sua irmã, querendo ouvir de sua boca que ela havia se tornado cristã, mas Nanzala se manteve em silêncio.

Indignado por ter entendido que ela de fato se converteu, Nanzala relata que o irmão apareceu em sua casa com uma faca e uma lança comprida gritando o slogan jihadista: “Allahu Akbar [Allah é Maior]”.

Ela conta que ele destruiu parte da porta para entrar e atacá-la, e ela tentou fugir para se salvar, mas ele a alcançou. “Meu irmão me seguiu enquanto eu gritava por socorro, mas infelizmente ele me atingiu com a faca afiada na minha perna”, afirma ela.

O Morning Star News obtve uma foto que mostra Nanzala no chão, com uma ferida profunda no tornozelo.

Socorrida pela polícia

Nanzala conta que os vizinhos e a liderança da área chegou e acionou a polícia de Kasasira, que respondeu o chamado prontamente e a resgatou.

De acordo com uma fonte local, Mugooda foi preso com a acusação de ameaça de violência, mas ao ser levado pela polícia continuou ameaçando a vida de sua irmã.

“Depois da minha libertação, vou matar Harriet por renunciar ao Islã, a religião de Alá”, disse Mugooda, de acordo com o oficial da polícia, Afande Hire.

A cristã afirma seguir com medo, e pede orações: “Agora vivemos com grande medo de ser atacados se meu irmão for libertado sob fiança. Precisamos de oração”, disse.

Este caso documentado pela Morning Star News, é apenas o ataque mais recente entre muitos outros relatos de perseguição aos cristãos em Uganda, apesar da constituição do país e outras leis permitirem a liberdade religiosa, com o direito de propagar a própria fé e converter de uma fé para outra.

Uganda está classificado em 62º lugar na Lista de Países em Observação (LPO) da Portas Abertas. Vale lembrar, que a lista inicia na 51ª colocação até a 74ª, classificando países com alta perseguição, e que possuem potencial de subir para lista que classifica onde o nível de perseguição é extrema e severa.

Por Portas Abertas

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -