EBD – Dom Ministerial de Pastor

Pr. Sérgio Loureiro
Pr. Sérgio Loureiro
Sou o Pastor Sérgio Loureiro, Casado com Neusimar Loureiro, Pai de Lucas e Daniela Loureiro. Graduando em Administração e Graduando em Teologia. Congrego na Assembleia de Deus em Bela Vista - SG
spot_img

Mais lidas

Paz do Senhor!

Prezados Professores e alunos,

Dando continuidade ao Dons Ministeriais, analisaremos o Ministério de Pastor. Os pastores eram aqueles homens que, mediante as demandas e suas tarefas árduas, dotados de conhecimento para prosseguir com o trabalho do evangelista, podiam permanecer ao pé do rebanho, dando o devido alimento espiritual, consolando, governando e deviam ser aptos para solucionar os problemas das ovelhas.

O USO DA PALAVRA PASTOR NO ANTIGO TESTAMENTO

No hebraico, “raah”, palavra que figura por setenta w seta vezes, onde tem o sentido de pastor (Gn 49.24; Êx 2.17,19; Nm 27.17; 1Sm 17.40; Sl 23.1; Is 13.20; 31.4; 40.11; Jr 6.3; 23.4; 25.34-36; 31.10; Ez 34.2-10,12,23; Am 1.2; 3.1; Zc 10.2,3; 11.3,5,8,15,16; 13.7). No seu sentido literal, “um pastor” é alguém que cuida dos rebanhos de ovelhas. Os pastores eram conhecidos como profissionais que alimentavam e protegiam os rebanhos,

“Ouvi a palavra do Senhor, ó nações, e anunciai-a nas ilhas de longe, e dizei: Aquele que espalhou a Israel o congregará e o guardará, como pastor, ao seu rebanho” (Jr 31.10)  

Que procuravam ovelhas perdidas (Ez 34.12) e que livravam dos animais ferozes as ovelhas que estivessem sendo atacadas:

“Assim diz o Senhor: Como o pastor livra da boca do leão as duas pernas ou um pedacinho da orelha, assim serão livrados os filhos de Israel que habitam em Samaria, no canto da liteira e na barra do leito” (Am 3.12)

JESUS, O SUMO PASTOR

“Ora, o Deus de paz, que pelo sangue do concerto eterno tornou a trazer dos mortos a nosso Senhor Jesus Cristo, grande Pastor das ovelhas” (Hb 13.20) 

Jesus foi o maior exemplo de pastor. Sobre esse seu ministério, Isaías profetizou:

“Como pastor, apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos, e os levará no seu regaço: as que amamentam, ele guiará mansamente” (Is 40.11).

Cristo é chamado Grande Pastor em Hebreus, em João como “Bom Pastor”

“Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas” (Jo 10.11)

Cristo é chamado em primeira carta do apóstolo Pedro, o “Sumo Pastor”

“E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa de glória” (1Pe 5.4)

Comtemplamos ao lermos esses textos, que Cristo é o Supremo Pastor em todos os aspectos. Ele ama, protege, cuida, guarda, conhece as suas ovelhas e relaciona com elas. Aqueles que trabalham fielmente, embora sofram enquanto estão na terra, receberão glória nos céus do próprio Cristo.

Nós encontramos um texto na Bíblia acerca de Davi que se dispôs a enfrentar Golias:

“Então, disse Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai; e vinha um leão ou um urso e tomava uma ovelha do rebanho, e eu saía após ele, e o feria, e a livrava da sua boca; e, levantando-se ele contra mim, lançava lhe mão da barba, e o feria, e o matava. Disse mais Davi: O Senhor me livrou da mão do leão e do urso; ele me livrará da mão desse filisteu”. (1Sm 17.34-36a).

Davi nos dá exemplo como devemos cuidar e proteger o rebanho do Senhor. Os verdadeiros pastores que ministram na igreja local, e receberam o dom, dá sua vida, seu tempo, protegendo as ovelhas dos ataques do inimigo. Que Deus capacita homens vocacionados e chamados com o Dom Ministério de Pastor.

AS CARACACTERISTICA DO VERDADEIRO PASTOR

Aquele que exerce o ofício de pastor é requerido, dentre diversas qualidades, o dom do ensino, o da exortação, o dom governos. O pastor que é apenas alguém que exorta, mas que não ensina, é uma calamidade em uma igreja local, e dificilmente pode alimentar o rebanho, conforme é seu dever.

É dever de um pastor de uma igreja local possuir qualificações que o credenciem para tão importante missão. Pastores verdadeiros são dados a Deus à igreja. Cristo não dá igreja ao pastor. Ele não é mandatário ou proprietário, ele serve a igreja. Vejamos algumas dessas qualificações conforme 1 Timóteo 3.1-7:

Irrepreensibilidade moral.

No grego é “anenkletos” que significa “sem mancha”, “sem culpa”, “irrepreensível”. Vem a significar “deitar mãos sobre”, como se fora uma acusação e comprovação de culpa. Dessa forma, um pastor não pode ser aquela pessoa apanhada em falta, em vicio ou escândalo.

Vida conjugal ajustada.

Indica que o que está na condição de líder não pode ser culpado de “poligamia”, o que é contrário ao ideal cristão do casamento monógamo 9Mt 19.3-12). Ser marido de uma mulher não dá direito ao homem de Deus divorciar-se por qualquer motivo de sua esposa e contrair novas núpcias. E permanecer na condição de líder. A Igreja primitiva não aceitava tal atitude. A recomendação do escritor em Hebreus é que:

“Venerado seja entre todos o matrimonio e o leito sem macula; porém aos que que se dão à prostituição e aos adúlteros deus os julgará” (Hb 13.4)

Vigilante.

O pastor é aquele que guarda o rebanho. Deve está atento ao que se passa ao seu redor, vigiando a sua vida pessoal e ministerial,

“Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvaras, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem” (1Tm 4.16)

Depois, vigiando o rebanho para alertar e livrar dos “lobos devoradores”. Ser vigilante significa ser “atento, cauteloso, cuidadoso, precavido” quanto os perigos que o rodeiam.

“Vigia e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26.41) 

Sóbrio (“simples, moderado”)

É a tradução do vocábulo grego “sophron” que quer dizer “prudente”, “auto controlado”, “previdente”. É similar ao vocábulo grego “sophrosune”, usado em 1Tm 2.9, indicando “moderação”, e que evita excesso. Significa “controle das paixões e dos desejos, a disciplina da mente e da própria personalidade”. Outras vezes é empregada a palavra com sentido de “bom senso”.

 Honesto.

Vem significar “digno”, “bem comportado”, “sereno”. Seu significado básico é “ordeiro”, indicando que aquele que está investido de liderança, sobretudo o apascentador do rebanho de Deus. Essas qualificações podem resumir-se numa expressão:

“mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver” (1Pe 1.15)      

O homem de Deus não é perfeito em si mesmo, por mais que se esforce para ser santo. Mas, cuidando de sua vida pessoal, ministerial e como cidadão, pode ser muito bem visto pelos crentes como uma pessoa honesta.

Hospitaleiro.

As hospedarias da época, além de raras, serviam às meretrizes e aos ladrões, e era necessário que os membros necessitados da igreja, bem como os pastores, que sempre teriam pregadores e evangelistas visitantes, oferecessem sua hospitalidade e demonstrassem interesse por seus irmãos na fé, dando-lhes o necessário para a vida diária. A palavra no grego é “philoxenos” que significa “amante da hospitalidade”. Ainda, no original grego, temos a palavra “philoxenia” que é composto de dois vocábulos cujo significado é “amor aos estranhos”, isto é, o cuidado pelos que viajam, o amor aos hóspedes, ou seja, o amor do hospedeiro demonstrado pelos seus hospedes.

“Não vos esqueçais da hospitalidade, porque, por ela, alguns, não sabendo, hospedaram anjos”. (Hb 13.2)

Apto para ensinar

Todo pastor deve ser apto par ensinar. Em grego é “didaktikós”, que significa “habilidoso no ensino”, indicando alguém que possui o dom ministerial de “mestre”, qualificação e disposição para ensinar. Deve ensinar ao rebanho as verdades bíblicas e suas doutrinas, com o poder de convencimento. O pastor usa Palavra, pois ela é o alimento, a vara e o cajado, por isso o pastor deve ser apto para ensinar.  

Não dado ao vinho.

O termo grego é “paroinos”, significando “viciado em vinho”, o que o pastor não deve ser nem se arrisca a ser. O pastor deve ser dar exemplo de abstinência desse tipo de bebida para o seu bem, de sua família e do rebanho sob seus cuidados. Se fosse escrito hoje, o texto talvez dissesse: “não dado à cerveja, à champanhe, ao licor ou outra bebida alcoólica”.   

Ordeiro (“não espancador”).

O “violento”, no grego, “plektes”, ou seja, aquele que tem ânsia de brigar e entrar em querelas, briguento, valentão que sente prazer em ofender e oprimir as pessoas. A raiz “plesso”, que vem significar “bater”, “espancar”, “ferir” com um golpe direto com o punho ou com uma arma na mão. No significado desta palavra, achavam-se contidas as ofensas verbais:

“Mas eu vos digo que toda palavra ociosa (inaproveitável) que os homens disserem hão de dar conta no Dia do Juízo”. (Mt 12.36)

“A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibas como vos convém responder a cada um” (Cl 4.6)

 Moderado.

No grego é “epieikes”, que tem por significado “gentil”, “bondoso”, “pronto a ceder”, “dotado de espírito tolerante”, espírito esse que deve caracterizar o pastor. Está associada à “mansidão”, que no grego é “prautes”, ou seja, significa “gentileza”, “suavidade”, “humildade”, “consideração”, são qualidades que o pastor deve possuir e cultivar. “A mansidão tolera a dor, mas a gentileza corrige as faltas dos outros com tolerância”.  A palavra “moderado”, condena a estupidez e a inflexibilidade de atitude. 

Não contencioso.

Em grego “amachon”, significa “pacífico”. A atitude de muitos pastores tem sido oposta à de homem pacífico, estando na verdade, sempre ansioso por participar de contendas. Esse termo é usado em Tito:

“que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas modestos, mostrando toda mansidão para com todos os homens” (Tt 3.2)

Não avarento.

No grego é “aischrokerdes”, ou seja, “cobiçoso de ganho desonesto”, “ganancioso”. É do tipo de pessoa que tenta convencer que seu interesse é pelo reino dos céus quando, na verdade, suas ações bem demonstram suas atenções voltadas para coisas deste mundo. Um pastor não pode carregar a igreja no bolso, mas no coração. Atendamos para advertência dos apóstolos Paulo e Pedro:

“contendas de homens corruptos de entendimento e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho. Aparta-te dos tais”. (1Tm 6.5)

“apascentai o rebanho de Deus que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto”. (1Pe 5.2)

Experiente (“não neófito”)

Tradução do termo grego “neophutos” que significa “recém-plantado”, aludindo à pessoa convertida recente. Pastor deve ser uma pessoa desenvolvida espiritualmente, é preciso ter conhecimento e experiencia de erro, agonia e luta e, em especial, a unção divina.  

De bom testemunho perante os descrentes” (“bom testemunho dos que são de fora”)

Esta palavra no grego é “martyria”, e pode indicar alguma coisa como prova sobre algo, ou uma espécie de “reputação geral” ou, então, o “testemunho verbal sobre a veracidade de alguma coisa”. A expressão “os de fora”, ou “dos que estão de fora”, se deriva do judaísmo, onde era aplicada aos gentios. Significa que as pessoas precisam “conhecê-los em seus negócios e em seu caráter passado, testificando favoravelmente. Nesse sentido, o apóstolo Paulo, recomenda que “os de fora” dêem o seu parecer sobre o caráter de todo o candidato ao pastorado, antes de ser ele ordenado ao santo ministério.   

O MINISTÉRIO PASTOR

A palavra pastor vem do latim, “pastor”, com o significado de “aquele que guarda as ovelhas”, ‘o que cuida das ovelhas”. Essa designação de pastor de ovelhas é “poimen”, no grego. O pastor Antônio Gilberto nos informa que “O verdadeiro pastorado é um dom de Deus para ser exercido, e não primeiramente um cargo para ser ocupado. O pastor pode também vir a exercer o cargo de presidente da igreja. Se realmente o Senhor lhe concedeu o dom ministerial de pastor, e ele também for colocado por Deus para presidir a igreja, o seu ministério vem do Dom e o seu cargo através da sua eleição. As atividades do pastor englobam as funções de pastoreio, pregador, mestre, administrador e conselheiro. A principal missão do pastor é gerir pessoas ou cuidar de pessoas, alimentando-as com a Palavra de Deus. O profeta “traz” Deus ao povo; o pastor “leva” o povo a Deus

“E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro com de Deus; e puseram-se ao pé do monte” (Êx.19.17).

O DOM MINISTERIAL DE PASTOR

Entre os dons ministeriais concedidos a igreja, encontra-se o dom de pastor (Ef 4.11). O pastor é o responsável pela direção e pelo apascentamento do rebanho. É o “anjo da igreja” (Ap 2.1). Serve sob a direção do Bom Pastor, a quem pertence a igreja (1Pe 5.2,4), e deve andar nas suas pisadas (Jr 17.16), e sob a sua direção (Jr 3.15). Cabe ao pastor velar pelas ovelhas, como quem tem de dar conta delas:

“Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossa alma, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos será útil” (Hb 13.17)  

“O pastor é essencial ao proposito de Deus para sua igreja. A igreja local deixar de ter pastores piedosos e fiéis não será pastoreada segundo a mente do Espírito (1Tm 3.1-7). Será uma igreja vulnerável às forças destrutivas de Satanás e do mundo (At 20.28-31). Haverá distorções da Palavra de Deus, e os padrões do evangelho serão abandonados (2Tm 1.13,14). Membros da igreja e seus familiares não serão doutrinados conforme o proposito de Deus (1Tm 4.6,14-16; 6.20,21). Muitos se desviarão da verdade e se voltarão às fábulas (2Tm 4.4). Se, por outro lado, pastores forem piedosos, os crentes serão nutridos com as palavras da fé e da sã doutrina, e disciplinados segundo o propósito da piedade” STAMPS, 1995, p. 1816

“Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Jesus Cristo, criado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido. Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas e exercita-te a ti mesmo em piedade” (1Tm 4.6,7)    

SEMELHANÇA ENTRE O PASTOR COMO PROFISSÃO E COMO DOM MINISTERIAL

A Bíblia traça um paralelo entre a profissão de pastor no Antigo Testamento e o Dom Ministerial de pastor no Novo Testamento. por exemplo:

  1. O líder das ovelhas é chamado de pastor (Gn 4.2; Ef 4.11);
  2. Cada salvo é comparado a uma ovelha (Sl 100.3; Jo 10. 14);
  3. O grupo de ovelhas juntas é chamado de rebanho, assim como a Igreja (Gn 21.28; At 20.28).

Vejamos algumas funções do pastor como profissional que é semelhante à do pastor como Dom Ministerial:

PASTOR PROFISSÃO

Alimenta (Gn 24.25;29.2; Sl 23.1,2)

Protege (1Sm 17.34-36; Sl 23.4)

Cuida (Sl 23.1)

Orienta (Sl 23.2)

Disciplina (Sl 23.4)

Lidera (Jo 10.4)

PASTOR COMO DOM MINISTERIAL

Alimenta com a Palavra (Jo 21.15-17; At 20.28; 1Pe 5.2)

Protege com a doutrina (Rm 16.17; Ef 4.14)

Cuida com amor e zelo (2Co 11.2; Hb 13.17)

Orienta com prudência (1Co 4.14; 2Tm 4.2)

Disciplina com amor e firmeza (1Co 4.21; Hb 12.5-11)

Lidera com cuidado (At 20.28; 1Pe 5.2)

Conclusão

Deus, por meio de Cristo, deu pastores a fim de liderar, instruir e edificar a sua igreja aqui na terra. Nosso comportamento diante daqueles que o Senhor instituiu sobre nós deve ser de amor (Rm 12.10; 1Pe 3.8); respeito (1Co 16.18; 1Tss 5.13; 1Pe 2.17; Fp 2.29; 1Tm 5.17) e submissão (1Co 16. 16; Cl 4.10), pois “velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas” (Hb 13.17b)

Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. CPAD

Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD

BERGSTÉN, 2007, p. 116

CHAMPLIN, 2004, P 104

RENOVATO, Elinaldo. Dons espirituais e ministeriais: servindo a Deus e aos homens com o poder extraordinário. CPAD.

GILBERTO, Antônio 2011

Kessler, Nemuel. Quem aspira o episcopado. Editora Pentecostal do Brasil

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -