EBD – Dons Ministeriais para a Igreja

Pr. Sérgio Loureiro
Pr. Sérgio Loureiro
Sou o Pastor Sérgio Loureiro, Casado com Neusimar Loureiro, Pai de Lucas e Daniela Loureiro. Graduando em Administração e Graduando em Teologia. Congrego na Assembleia de Deus em Bela Vista - SG
spot_img

Mais lidas

Paz do Senhor!

Prezados Professores e alunos,

Nas lições anteriores estudamos os Dons espirituais de poder, de elocução e de revelação. A partir dessa semana nós estudaremos os Dons ministeriais. E teremos a oportunidade ímpar de estudar e ensinar. Baseado no livro de Efésios 4.11, temos a dádiva e a necessidade para que a igreja venha cumprir a sua missão neste e que todos venham crescer espiritualmente. Neste próximo domingo estudaremos “O Ministério de Apóstolo”. Temos ciência que o ministério apostólico, segundo os moldes do colégio dos doze, não existe mais, porém o Dom Ministerial descrito em Efésios 4.11 continua em plena vigência. 

  1. O COLÉGIO APOSTÓLICO     

O termo “apóstolo” significa um delegado, embaixador do Evangelho; oficialmente uma pessoa comissionada por Cristo; mensageiro; enviado. Também no sentido mais amplo, referindo-se aos ajudantes e companheiros dos doze, como colaboradores na implantação de igreja.

“Quando a Tito, é meu companheiro e cooperador para convosco; quanto a nossos irmãos, são embaixadores das igrejas e glória de Cristo” 2Co 8.23

Entendemos como colégio apostólico o grupo dos doze que haviam visto o Senhor ressurreto recebido suas tarefas diretamente dEle. São indivíduos especificamente chamados, comissionados e autorizados pelo próprio Cristo para serem seus representantes na proclamação do Evangelho e no estabelecimento da igreja.

“edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina” Ef 2.20

Nesse sentido singular dos doze foram escolhidos entre as multidões após uma noite de oração o Senhor escolheu e comissionou pessoalmente para começar a Grande Comissão, andaram com o Mestre e receberam autoridade divina. Ninguém mais pode ser um apóstolo no sentido em que eles foram. Observando com cuidado os textos bíblicos, nenhum apóstolo foi escolhido, depois de Matias, para estar entre os doze. Nem foram nomeados substitutos, quando estes foram martirizados.

Chamou a si os doze, e começou a enviá-los de dois a dois, e deu-lhe poder sobre os espíritos imundos” Mc 6.7

É evidente que, em um sentido mais amplo, crentes chamados especificamente para uma obra especifica tem um ministério apostólico.

“Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós” Jo 20.21

O verdadeiro apostolado se baseia-se na pessoa e obra de Cristo é centrado única e exclusivamente em Cristo Jesus, pois Ele é o supremo Apóstolo por excelência

“Pelo que, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e sumo sacerdote da nossa confissão” Hb 3.1

  1. O APÓSTOLO PAULO

Saulo era tão zeloso por sua crença religiosa, que começou uma perseguição contra qualquer pessoa que cresse em Cristo. Um homem inteligente, um importe mestre no judaísmo. Era um touro indomável. Todavia encontrou com Cristo ressurreto e colocado frente a frente com a Boas Novas do evangelho. A partir desse dia teve uma experiência maravilhosa, um começo de uma nova vida em Cristo.

“Não sou eu apóstolo? Não sou livre? Não vi eu a Jesus Cristo, Senhor nosso? Não sois vós a minha obra no Senhor? 1Co 9.1    

Saulo não foi informado, nesse momento, da sua missão ou propósito. Isso ficou reservado para quando ele se encontrasse com Ananias, mais tarde, na cidade de Damasco. Essa introdução gradual ao seu futuro o guardou de se alarmar de uma só vez com as mudanças que Jesus tinha iniciado em sua vida, e isso permitiu que os crentes em Damasco se encontrassem com ele e aceitassem aquele a quem eles temiam.

“Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido para levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis, e dos filhos de Israel” At 9.15

O apóstolo Paulo não andou com Jesus no seu ministério terreno, não foi testemunha da ressurreição de Cristo, portanto não tinha credencias para ser um apóstolo. Mas a credencial do seu apostolado era o fato de ter visto Jesus ressurreto a caminho de Damasco e ensinou todas as coisas. Porém a sua humildade em reconhecer que foi chamado fora de tempo, considerando como um “um abortivo” quer dizer por sua chegada tardia à série de testemunhas oculares da ressurreição de Cristo.

“e, por derradeiro de todos, me apareceu também a mim, como a um abortivo. Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus” 1Co 15.8,9

Embora o colégio apostólico tenha reconhecido o apostolado paulino, o selo do seu ministério era as igrejas plantadas por ele.

“Se eu não sou apóstolo para os outros, ao menos sou para vós; porque vós sois o selo do meu apostolado no Senhor” 1Co 9.2

  1. APOSTOLICIDADE ATUAL

O ofício apostólico não pode ser transferido e a “sucessão apostólica” é invenção humana e não doutrina Novo Testamento. Eram altamente dotados, serviam de dons especiais à igreja, quanto à sua iniciação, organização e propagação. Tal era o poder da fé que conduziam muitos aos pés de Cristo. Porém há passagens no Novo Testamento em que outras pessoas, além dos doze e de Paulo, parecem ter sido chamadas de “apóstolos”. Segundo Augustus Nicodemus, (2014, p. 120-121), Barnabé (At 14.1,14; 1 Co 9.6), Silvano, Timóteo (1 Ts 1.1; 2.7) e os “demais apóstolos” que Paulo menciona (1 Co 9.5) foram enviados por Cristo para anunciar o Evangelho em lugares onde o mesmo não havia chegado. Epafrodito foi enviado pela igreja de Filipos para levar uma oferta a Paulo (Fp 2.25), e os “apóstolos da igreja” foram enviados por elas para levar uma oferta a Jerusalém (2 Co 8.23). Sendo assim, nos nossos dias, somente poderia reivindicar esse “título” os missionários pioneiros, desbravadores de novos campos, estes, porém, costumam não sentir atração por títulos que os engrandeçam. Podemos sem medo de errar, claro respeitando os que dizem “apóstolos” atualmente, que no sentido mais amplo da palavra, são os missionários. Pessoas estas que são fundamentais para propagação do Reino de Deus, os plantadores de igreja, que entregam verdadeiramente suas vidas por a amor a Cristo exercendo o “dom de apóstolo”.  

CONCLUSÃO Como pudemos ver, o termo apóstolo significa “enviado”. Este título foi atribuído ao próprio Cristo, aos Doze, a Paulo, além de outros. As qualificações necessárias para ser apóstolo era ter sido testemunha ocular das obras, da vida, da morte e ressurreição de Cristo. Hoje, já não existe apóstolos nos moldes do Colégio Apostólico; mas, o ministério de caráter apostólico permanece e é desenvolvido por missionários que estabelecem igrejas em diversos lugares do mundo.

- Propaganda - spot_img

Últimas Noticias

- Propaganda -